sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Manual de Culto da SLR

Adaptado (pra variar) de uma discussão na comunidade da Igreja Presbiteriana do Brasil, no Orkut:

Já se suscitou com veemência a necessidade da elaboração de um Manual do Culto de uso oficial para a IPB, que aborde as necessidades e tendências contemporâneas de todos os segmentos, de todo o espectro litúrgico-ideológico da nossa Igreja.

(N. do E.: o Manual da IPI é excelente, mas vá sugerir sua adoção na IPB...)

O manual atual não é nem oficial, como bem notou o Rev. Carlos Alberto Chaves Fernandes. Foi um guia para o uso dos líderes leigos, formulado pelo Rev. Modesto Carvalhosa, que recebeu uns extras e acabou sendo publicado pela CEP na falta de outro melhor no Brasil. Vale lembrar o que o Dr. José Ávila também já lembrou: os ministros que vinham dos EUA, sobretudo os da Igreja do Norte, usavam o Livro de Oração Comum (anglicano) como manual, de modo que eles já tinham uma formação litúrgica apropriada.

Mas como a ligação da IPB acabou sendo (como ainda é) mais forte com a Igreja do Sul, esta bem mais puritana e menos afeita a rituais elaborados, acabamos herdando o culto avivalista de fronteira destes últimos.

Interessante lembrar que o movimento de resgate litúrgico da Igreja do Norte (atual PCUSA) começou no fim do século XIX com o interesse e a dedicação de um único homem, o presbítero Benjamin Comegys.

Ele foi um pesquisador dedicado, tanto que um presbiteriano da old school (essencialmente, neo-puritanos) disse da biblioteca dele: "Um estranho que visitasse a sua biblioteca provavelmente concluiria que seu proprietário era um ministro da Igreja da Inglaterra, visto que poucos clérigos deste país, mesmo os da Igreja Episcopal, possuem uma biblioteca de liturgia tão completa.".

Esse presbítero, inspirado pela leitura do livro Eutaxia, or the Presbyterian Liturgies: Historical Sketches ("Eutaxia, ou As liturgias presbiterianas: esboços históricos"), de Charles Baird, (em que discretamente tentava introduzir suas idéias litúrgicas, tentando não se encrencar com os puritanos da Casa Editora da denominação -- coincidência?) começou a rascunhar um guia litúrgico para a igreja.

O livro de Comegys conseguiu despertar a simpatia de muitos ministros e igrejas, mesmo não tendo a chancela da obrigatoriedade.

O calendário cristão, a maior ênfase no culto como ato global (em detrimento da centralidade da pregação) e o resgate da importância dos sacramentos passaram a fazer parte da ordem do dia da PCUSA.

Logo, a igreja revisou seu Diretório de Culto e, posteriormente, editou um novo Book of Common Order, permitindo o uso de liturgias mais elaboradas, com numerosas sugestões de ordens de culto e orações comuns (em detrimento das orações extemporâneas que eram a "jóia da coroa" do culto puritano).

Nada foi imposto, o movimento ganhou impulso por si só!

E inspirado na saga (narrada com mais detalhes aqui, por um presbiteriano da Old School) desse heróico presbítero, eu queria lançar um esforço comunitário para editarmos um manual próprio nosso, que atendesse às necessidades do nosso tempo e a todas as linhas presentes na IPB (e nos demais ramos conservadores do cristianismo reformado brasileiro)!

Penso em algo nos moldes do LOC da IEAB: vários capítulos, com ordens de culto que atendam às diferentes linhas litúrgicas presentes na IPB. Lá, geralmente o Rito 1 é anglo-reformado e o Rito 2 é anglo-católico. O nosso poderia ser nessas linhas:

Rito 1: Culto Cristão na tradição bimilenar, com as formas clássicas ocidentais da Liturgia da Palavra e Liturgia da Eucaristia;

Rito 2: Culto no modelo Reformado europeu, baseado nos modelos genebrino, huguenote e no da Igreja Reformada americana (de herança húngara);

Rito 3: Culto no modelo do Diretório de Westminster;

Rito 4: Culto no modelo puritano/avivalista;

Rito 5: Adaptação do modelo contemporâneo, com linhas e instruções gerais para não se perder a identidade reformada.

E a mesma coisa para os sacramentos e atos sacramentais:

Eucaristia 1: Liturgia completa com Grande Ação de Graças;
Eucaristia 2: Rito simplificado, com Oração Eucarística, Pai Nosso e fração na Instituição;
Eucaristia 3: Ordem para a comunhão dos enfermos e outras situações extraordinárias.

Batismo 1: Liturgia completa com Ação de Graças;
Batismo 2: Rito simplificado;
Batismo 3: Rito de batismo de emergência.

Confirmação 1: Liturgia completa para a Profissão de Fé;
Confirmação 2: Rito simplificado.

Ordenação 1: Liturgia com cerimonial completo para a ordenação de ministros e oficiais da Igreja;
Ordenação 2: Rito simplificado;
Imposição de mãos: Rito para a posse e instalação, com imposição de mãos, de diretorias de sociedades internas e outras lideranças não-ordenadas da Igreja.

Matrimônio 1: Rito completo para a realização da cerimônia religiosa com efeitos civis;
Matrimônio 2: Cerimônia religiosa sem efeitos civis (casal que já casou ou está para casar em cartório, em ato separado);
Matrimônio 3: Rito simplificado para situações extraordinárias (casamentos campais etc.).

Unção dos enfermos: Rito reformado de intercessão com unção dos enfermos.

Ofício Fúnebre
E capítulos extras com instruções sobre arquitetura (externa e interna), formas de organizar e executar o cerimonial equilibrando a formalidade com a linguagem contemporânea, além de sugestões diversas de coletas, orações, formas de intercessão, um lecionário...

Vamos discutir?

ATUALIZAÇÃO (12/01/2009):

Os materiais já publicados do Manual podem ser encontrados para download aqui!

Um comentário:

Leon Gabai de Morais disse...

Excelente, Eduardo! Ótima idéia!
Cara, estou em débito com você. Ainda não pude te remeter os materiais pois estive ocupadíssimo com meus estudos mas, se D.us permitir, na próxima semana te mando alguma coisa...

Ahh, não sei se vc conhece essa fonte aqui (traz um modelo litúgico ao estilo reformado europeu, além de outros recursos):

http://genevanpsalter.redeemer.ca/liturgy.html

Abração, brother!

P.S.: me passa teu msn pra a gente trocar umas idéias...