quinta-feira, 24 de novembro de 2016

As luzes do Advento

Texto originalmente publicado no Informativo Semanal da Igreja Presbiteriana de Franca, 20 de novembro de 2016 (Domingo de Cristo, o Rei do Universo), ano XVI, n. 562. 


 Neste ano, a nossa Igreja vai voltar a praticar uma tradição que nasceu junto com a Reforma Protestante: as luzes do Advento. Embora o seu surgimento exato não seja conhecido, a tradição afirma que a prática vem do próprio Martinho Lutero.

No Calendário Cristão, o Advento (que significa “chegada”, “surgimento”), é um tempo de preparação, de expectativa pela vinda de Cristo, e tem duplo sentido: é tanto a preparação para a comemoração de sua primeira vinda, no Natal, quanto também a ardente expectativa pela sua segunda vinda, em glória, para restaurar toda a Criação.
As luzes do Advento (que podem tomar diferentes formas, como coroas ou guirlandas, lâmpadas ou velas) são um instrumento didático para marcar a chegada da Luz do Mundo no Natal. Na sua origem, era um arranjo decorativo de velas que eram acesas no fim da tarde, no momento do Culto doméstico, para mostrar às crianças quanto tempo faltava para o Natal. À medida que a comemoração se aproximava, mais luzes eram acesas, até que, na Noite de Natal, a maior de todas era acesa também e o arranjo atingia o seu maior brilho, e assim permanecia durante os Cultos das duas semanas seguintes, em que a Igreja também se lembra da visitação de Jesus pelos magos do Oriente (guiados pelo brilho da estrela) e o seu Batismo por João (no qual os céus se abriram e o fulgor do Espírito Santo desceu sobre o Senhor na forma de uma pomba).
Embora a tradição das luzes do Advento tenha surgido no contexto do Culto doméstico, foi logo incorporada também ao Culto comunitário da Igreja Luterana, e dela passou também para outras tradições protestantes, sendo adotada, séculos depois, até mesmo pela Igreja Católica Romana. Mas cabe enfatizar: a origem dessa tradição (assim como a das árvores de Natal) é totalmente protestante.
Neste novo ano litúrgico (visto que o Calendário Cristão começa pelo Advento), em que comemoramos 500 anos da Reforma, a nossa Igreja resgatará essa legítima tradição protestante. A cada domingo do Advento, será acesa mais uma luz no arranjo da Mesa da Comunhão, culminando com a maior, no Culto das Luzes que celebraremos na Noite de Natal. E, em um momento especial desse Culto, cada um de nós receberá uma vela, acesa a partir da chama dessa luz maior – um lembrete simbólico de que o brilho da luz de Cristo se mostra ao mundo a partir do momento em que cada um de nós o recebe em nosso coração e o reflete ao nosso redor.
Contamos com a sua participação nas nossas programações de Natal e Ano Novo! Convide seus familiares e amigos, para que juntos anunciemos a vinda do Senhor Jesus! E que Deus conceda um santo Advento e um feliz Natal a todos e todas!

Rev. Eduardo H. Chagas 
Advento, 2016.

O Rev. Eduardo H. Chagas é Pastor Auxiliar da Igreja Presbiteriana de Franca/SP, e Editor do Blog Sociedade pela Liturgia Reformada.

 Referência para citação:
CHAGAS, Eduardo H. As luzes do Advento. Sociedade pela liturgia reformada. Disponível em [http://liturgiareformada.blogspot.com.br/2016/11/as-luzes-do-advento.html], acesso em 24 nov. 2016.

Nenhum comentário: